Adesivo Estrutural para Carrocerias - Parte 1

|


Olá boa noite.

Para quem acompanha as postagens do Especialista, já deve ter imaginado que a linha de produção de uma montadora se equipara á casa dos monstros de um desses parques temáticos.
Alguém me mandou um email nesta semana me dizendo que um tio havia trabalhado numa linha de montagem há muitos anos atrás e que havia dito que o local onde as carrocerias eram montadas e soldadas era um local sujo, quente e mal iluminado. Impressionado o colega me perguntou como era possível sair carros tão perfeitos de um lugar tão escuro, onde faíscas explodem á cada movimento dos robôs. Óbvio que o tio dele estava se referindo á linha de Armação de Carroceria dos anos 60, 70 e provavelmente 80.
Há anos atrás as linhas de armação das montadoras eram consideradas mesmo o “pior” lugar para se trabalhar.
Os equipamentos de solda eram pesados, não haviam exaustores de ar instalados e quase sempre grandes conjuntos eram manipulados á mão, no “arroz e feijão” como se diz popularmente.
Mas os tempos mudaram, a Armação continua ainda sendo o pior lugar para se trabalhar, mas mesmo assim 200% melhor do que há uns vinte anos atrás.
Mas seria possível construir uma carroceria sem aplicar sequer um ponto de solda? Ou um cordão MIG ou MAG?
A resposta:
Se considerarmos a gama de adesivos disponíveis hoje no mercado seria sim possível construir um carro inteiramente colado.
Embora a tecnologia de adesivos tenha feito avanços significativos nos últimos dez anos, ainda há alguns obstáculos á serem superados. O dilema maior é de que os adesivos estruturais não dispõem da mesma confiança que os meios mecânicos de união dispõem.
Mas isto está mudando rapidamente, pois com a necessidade de se construir veículos mais leves que emitam cada vez menos quantidades de CO2 na atmosfera, os construtores de veículos começam á olhar para essa tecnologia como uma solução bastante promissora e as empresas investem muito mais em pesquisas.
A tecnologia de adesivos empregada hoje na produção moderna de veículos caminha á passos largos. Muitas peças podem ser unidas por adesivos de cura de alta velocidade (entendam-se adesivos de secagem rápida)
Os adesivos estruturais de grande resistência estão sendo usados onde há uma necessidade de reforçar determinadas áreas do veículo, primeiramente para considerações da segurança de ruído.
Calcula-se que o emprego de um quilo de adesivo estrutural propicie a redução de peso na ordem de 25 quilos em um veículo e melhora muita a sua condição estrutural (Crash e rigidez de carroceria).
Os adesivos estruturais são colas Epóxi. Sem nos aprofundarmos demasiado na área da química, basta dizer que as colas Epóxi são os compostos orgânicos de ligação em que uma resina desenvolve suas propriedades da ligação quando combinada á um catalizador.
Existem dois tipos principais de adesivos estruturais automotrizes: cola Epóxi de base acrílica e colas Epóxi de base poliuretano.
As colas Epóxi Acrílicas são as mais rígidas e que tem necessidade de serem aplicadas em secções transversais muito finas para o seu melhor desempenho. Embora estes adesivos de grande resistência sejam amplamente utilizados e possam sustentar forças de cisalhamento muito grandes, têm alguns inconvenientes que impedem que sejam as soluções perfeitas para união de chapas.Entre esses defeitos pode-se citar o comportamento quando no caso de uma trinca que é similar ao de uma peça soldada, por exemplo.
As colas Epóxi de poliuretano, por outro lado, são mais flexíveis e permitem conseqüentemente que a energia seja transmitida através da ligação. Em um veículo, isto permite que as forças (torque do motor, do quadro da suspensão, etc.) sejam dispersas por toda a estrutura colada.
Um exemplo de cola estrutural de Poliuretano já utilizada nos veículos de hoje, é a que faz a junção do parabrisa com a carroceria.
Na próxima Postagem vamos discutir sobre a segurança dos veículos montados com adesivos estruturais.
Um abraço!
O Especialista
carroceria.2008@gmail.com


Alguma sugestão ou crítica? Mande um Email para O Especialista. Está gostando das postagens? Então divulgue o "Carroceiros" de Plantão para os seus amigos!

3 comentários:

Anônimo disse...

Especialista,
Muito interessante a abordagem desta semana.
Continue com as postagens de Qualidade.

Anônimo disse...

Colega seja sincero, você acha mesmo que estas suas postagens fazem alguma diferença? Quem compra um carro quer saber de por a bunda no carro, viar a chave e acelerar. Não perca o seu tempo.

O Especialista disse...

Olá Anônimos bom dia!
Primeiro obrigado por acessarem a minha página e por deixarem as suas opniões. Com certeza elas são muito importantes, vou continuar tentando fazer Postagens com qualidade. Respondendo á pergunta do Anônimo2, eu sei que boa parte das pessoas não se interessam de que jeito seja feito o carro, mais importante para elas é colocar a chave no contato, ligar o motor e ir para frente. ( Algumas ás vezes até esquecem de usar as setas..rs).
mas também sei que uma pequena parte dos proprietários de veículos tem sim uma curiosidade de saber como é feito uma porta, para que serve um furo, um pino soldado, etc e etc.
Você mesmo nunca abriu o capô do seu carro, olhou para dentro e se perguntou:
Porque diabos tem um furo loga aí?
Com certeza eu não vou responder sobre cada furo que existe em cada carro produzido aqui, mas eu posso pelo menos transmitir á essas poucas pessoas como é o trabalho de um Engenheiro ou técnico de Carroceria.
Elas vão saber que não é só amassar umas latas, colocar uns pontos de solda aqui e ali que está pronto.
Por trás de cada carroceria de veículo existe muito calculo, muita massa cinzenta queimada e muita paixão por aquilo que é feito.
Um abraço!

Postar um comentário

Divida suas opiniões e duvidas conosco.

 

©2009 CARROCEIROS DE PLANTÃO | Template Blue by TNB